Sadia e Batavo apoiam os Jogos Olímpicos Rio 2016™

revista_brf_ed100_esportes_rio

A Sadia e a Batavo têm em comum uma trajetória de proximidade com os esportes, por meio de iniciativas de patrocínio e incentivo a equipes e atletas de diversas modalidades. Essa ligação vai ficar ainda mais forte daqui para a frente. As marcas Sadia e Batavo serão apoiadoras oficiais dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro nas categorias alimentos embalados e lácteos, respectivamente. A Sadia também será apoiadora dos Jogos Paralímpicos que serão realizados na cidade em 2016. O anúncio foi feito conjuntamente no dia 21 de maio pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016™ e pela BRF.

O acordo foi celebrado pelo presidente do Rio 2016™, Carlos Arthur Nuzman: “A Sadia e a Batavo são marcas que desfrutam enorme empatia do consumidor brasileiro e têm um histórico de envolvimento com o esporte. O acordo funcionará como uma excelente plataforma para engajar a população e reforçar nosso compromisso com os atletas e a comunidade esportiva do país. São mais duas marcas de imenso prestígio a acreditar no projeto dos Jogos, o que nos deixa muito contentes e orgulhosos.” O diretor-geral do Rio 2016™, Sidney Levy, acrescentou: “A participação dos parceiros comerciais é fundamental para a organização dos Jogos. A assinatura de acordos com a BRF nessas duas categorias demonstra o crescente interesse do setor privado em participar do evento. Contar com a Sadia e a Batavo como apoiadores engrandece o projeto.”

Para a empresa, a participação no apoio ao Rio 2016™ é um passo coerente com as estratégias desenvolvidas por suas duas marcas. “Essa será a primeira vez que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos acontecerão no Brasil, um momento aguardado por todos nós e do qual não poderíamos ficar fora”, diz José Antonio Fay, presidente da BRF. “As marcas Sadia e Batavo são perfeitas para disseminar a prática esportiva no país. Ambas possuem potencial para impactar positivamente a vida dos brasileiros.”

Arthur Zanetti
Com 1 metro e 56 centímetros de altura e 63 quilos, Arthur Zanetti protagonizou um ano atrás um feito de gigante: tornou-se o primeiro ginasta brasileiro a ganhar uma medalha de ouro olímpica, nos Jogos de Londres 2012. Aos 23 anos, ele conta com patrocínio da Sadia desde 2012. O esporte entrou em sua vida aos 7 anos de idade, por incentivo de um professor de educação física que percebeu seu potencial. Desde então ligado ao mesmo clube, o SERC Santa Maria, de São Caetano do Sul, no ABC Paulista, Zanetti treina 36 horas por semana. “O esporte me ensinou a ter dedicação, disciplina e objetivos de vida, e a correr atrás dos meus sonhos”, diz ele. “É apaixonante porque cada dia que passa eu tenho que me superar e sempre estar mostrando coisas novas.” Sua próxima meta: ser bicampeão olímpico.

Leandro Guilheiro
“O esporte é apaixonante porque me faz superar todos os limites. Foi por meio dele que evoluí como ser humano e acredito que nenhuma outra atividade teria me ensinado tanto”, diz o judoca Leandro Guilheiro, natural de Suzano, na Grande São Paulo, e hoje atleta do Clube Pinheiros, na capital paulista. Na lista do aprendizado, ele inclui disciplina, foco, poder de superação, trabalho em equipe, capacidade de estipular objetivos e de se planejar para eles, atributos desejáveis em todo tipo de atividade. No esporte, essa soma já lhe garantiu uma pilha de medalhas, incluindo a de ouro nos Jogos Panamericanos de Guadalajara 2011, uma prata no Campeonato Mundial de Tóquio (2010) e dois bronzes olímpicos (em Atenas 2004 e Pequim 2008). Falta-lhe o ouro nos Jogos Olímpicos, o que pretende conquistar no Rio 2016™.

Bruno Fratus
Ser campeão e recordista mundial e campeão olímpico. Nada menos que isso é o que quer o nadador Bruno Fratus, de 24 anos. Ele destaca que o esporte lhe deu, além das características de foco e determinação de sua personalidade, a oportunidade de conhecer lugares e culturas diferentes. Filho de um paulista e uma potiguar, ele nasceu em Macaé, no Rio de Janeiro, e foi criado em Natal e Mossoró, no Rio Grande do Norte. Hoje, defende o Clube Pinheiros, mas treina na Itália. Trouxe suas principais medalhas, até agora, do México, onde ganhou dois ouros e uma prata nos Panamericanos de Guadalajara 2011. Em Londres 2012, na final dos 50 metros livres, ficou em quarto lugar, por bater a mão 2 centésimos de segundo depois de Cesar Cielo. “É a superação de limites que faz o esporte tão apaixonante.”

 

Práticas saudáveis

No campo olímpico, a Sadia já mantém patrocínio a 24 atletas de alto rendimento – a chamada Família Sadia – e às Confederações Brasileiras de Judô, Ginástica e Desportos Aquáticos. Outras iniciativas têm foco no esporte como meio de inclusão social. Um exemplo é o patrocínio aos atletas do Instituto Lançar-se para o Futuro, no Rio de Janeiro, que promove o desenvolvimento de crianças e jovens pela iniciação e prática desportiva do atletismo. Em Toledo, no Paraná, a marca sustenta desde 1996 o Projeto Ginástica Rítmica de Toledo, criado pela empresa para beneficiar a comunidade e os filhos de funcionários da fábrica instalada na cidade. “O esporte é um dos pilares estratégicos da marca, que entende que investir em grandes atletas é uma forma de inspirar gerações e disseminar valores”, afirma José Eduardo Cabral, vice-presidente de Mercado Interno da BRF. “O apoio ao Rio 2016™ é uma coroação dessa estratégia da Sadia.”
No caso da Batavo, a relação com o esporte inclui um passado de patrocínios ao futebol e, atualmente, ações de incentivo a práticas saudáveis, como apoio a corridas de rua e academias. “Percebemos que todas as conquistas e histórias de superação que vemos nos Jogos Olímpicos são provenientes de uma das maiores virtudes humanas: a busca da excelência. E a Batavo acredita que a única forma de extrair o melhor do seu físico é dando a ele o que existe de melhor, por meio de hábitos saudáveis”, diz Luiz Lissoni, vice-presidente de Lácteos e Supply Chain da BRF. Com busca da excelência e hábitos saudáveis, os resultados certamente virão.

 

Comentários estão fechados.

Slider by webdesign