domingo 26 Mar 2017

Programa de Excelência

PEX divulga resultados de 2012 e conclui: na BRF, todo mundo quer ser ouro

revista_brf_ed99_qualidade_destaque

Direcionar, motivar, reconhecer. Essa é a fórmula do PEX, o Programa de Excelência BRF. Nele, prevalecem a preocupação com a qualidade em todas as instâncias da empresa e também o propósito de aproximar o gestor da base operacional, alavancando resultados.

Giovani Araujo e Lucineia, gerentes da Unidade Herval d’Oeste, recebem a placa da Categoria Ouro

Na edição de 2012, 24 unidades/filiais (11% do total) triunfaram com o prêmio máximo. Elas são ouro. Isso quer dizer que bateram mais de 85% das normas e metas de resultados em seus setores. “Todos trabalharam em equipe, tiveram vontade de vencer, foco e disciplina”, diz Patricia Bernert Favarin, coordenadora do PEX.
O Programa de Excelência BRF faz auditoria entre os participantes para verificar a padronização e a execução dos processos produtivos e administrativos, buscando efeitos sustentáveis e excelência operacional. “Conseguimos fazer com que predomine, em todos os níveis, o raciocínio lógico da gestão”, avalia Patricia. “Além dos executivos, a base fica diretamente envolvida com padrões, metas e resultados. É uma ferramenta de motivação.”
Dividido em cinco grandes modalidades (Manufatura Carnes, Logística, Vendas MI, Food Services e Serviços), o PEX envolve, além das fábricas, filiais, centros de distribuição e escritórios administrativos. Todos são estimulados a cumprir normas e vigiar as metas. Unidades/filiais são reconhecidas com placas e uma classificação, que pode ser ouro, prata ou bronze. No nível operacional, a chancela é acompanhada de sorteios de carros, computadores e outros prêmios.

Como participar: Para participar do PEX, a diretoria deve ter seus processos mapeados e padronizados. E há algumas regras essenciais: primeiro, a unidade precisa estar classificada entre ouro e prata. Segundo, os funcionários têm de ser elegíveis a PLR, pois os prêmios são distribuídos por sorteio e esse é o critério de seleção.
Cada unidade busca superar as próprias metas. Antes, o PEX instigava a disputa entre áreas, mas atualmente é premiada a superação. Conclusão: todo mundo quer ser ouro.

Valmir Suzin, ganhador de um carro, comemora com seus colegas

 

• A indústria que é ouro
Cinco fábricas conquistam o PEX 2012

A diretoria de Manufatura Carnes emplacou cinco ouros na edição 2012 do PEX. As unidades de Videira, Tatuí, Buriti Alegre, Herval d’Oeste e Serafina Correia bateram todas as metas em processos para simplificar e padronizar a gestão e aperfeiçoar o desempenho sustentável.
Videira, em Santa Catarina, obteve o melhor resultado de toda a companhia. Formada por indústria, agropecuária, rações e proteínas, recursos humanos e administração, a planta emprega cerca de 4 mil funcionários. “Conquistamos a excelência fabril em virtude desse envolvimento”, diz Fabrício Delgado, diretor agroindustrial da Regional de Santa Catarina.
Tatuí, no interior de São Paulo, também teve bons resultados depois de investir em melhorias na produção, reduzir desperdícios e melhorar a qualidade dos produtos, como sanduíches, pratos prontos, pizzas, pães, salgados e folhados. “Em 2013, vamos continuar na busca pela excelência, valorizando a segurança das pessoas e a sustentabilidade dos processos”, afirma Sandro Leite, gerente industrial em Tatuí.
Ao todo, a BRF sorteou entre as unidades/filiais que conquistaram a classificação ouro 15 carros, 177 TVs, 25 tablets, 137 notebooks e 58 home theaters.

Comentários estão fechados.

Slider by webdesign