Para inspirar a gestão

Com ação para aprimorar a gestão de ONGs de 30 cidades, o Instituto BRF cumpre missão de promover o desenvolvimento local

revistaBRF_ed101_comunidade_destacada

Um grupo de 112 gestores de 56 organizações não governamentais que realizam trabalhos sociais, educacionais e ambientais em 30 cidades, localizadas em sete estados, forma a primeira turma de participantes do Programa Inspira. O programa, criado pelo Instituto BRF, tem como principal objetivo fortalecer o papel estratégico das organizações no desenvolvimento das comunidades em que estão inseridas. Neste fim de ano, o grupo está concluindo o quinto módulo do programa, que mescla aulas presenciais e atividades pela internet – iniciada em março, esta edição será concluída em julho do ano que vem e contará com dois ciclos de investimento financeiro nas organizações participantes. Com duração total de 16 meses, o programa fez a BRF ser incluída na lista de 50 Empresas do Bem, compilada pela revista Istoé Dinheiro para destacar companhias com projetos notáveis de sustentabilidade.

As ONGs atuam em cidades como Lucas do Rio Verde (MT), Buriti Alegre (GO), Lajeado (RS), Carambeí (PR), Capinzal (SC), Uberlândia (MG) e Vitória do Santo Antão (PE). Esses municípios têm em comum – assim como os demais 23 representados – o fato de contarem com unidades operacionais da BRF ou serem vizinhos a municípios com unidades da companhia. “O foco do nosso trabalho de investimento social é o desenvolvimento local porque entendemos que somos corresponsáveis pelas comunidades que contribuem para que a BRF seja umas das maiores empresas de alimentos do mundo”, diz Luciana Lanzoni, diretora executiva do Instituto BRF. Além do treinamento para os gestores, as ONGs receberão até R$ 40 mil cada para investir em projetos vinculados aos conteúdos
tratados pelo programa.

Cada entidade poderá receber até R$ 40 mil para projetos de aprimoramento de sua gestão

O planejamento e a implementação do programa são realizados de forma compartilhada entre o Instituto BRF, os Comitês de Investimento Social e o Ficas. Os Comitês de Investimento Social são grupos de colaboradores da BRF cogestores do investimento social da companhia. O Ficas é uma organização sem fins lucrativos que investe continuamente no fortalecimento de organizações sem fins lucrativos por meio de programas e ações de formação e articulação. Com 15 anos de existência, seu trabalho já beneficiou 300 instituições no Brasil e em Moçambique.

Lacuna preenchida
A opção por oferecer um programa de fortalecimento institucional que mescla capacitação e investimento financeiro é resultado de uma constatação da realidade. “As ONGs ficam muito focadas nas suas atividades-fim e têm pouco tempo e recursos para investir na sua própria profissionalização”, afirma Luciana. “Esse é um ponto em que há uma lacuna e decidimos ajudar as entidades a ter acesso ao que há de mais moderno em matéria de gestão de organizações sociais.” Mais de cem entidades se inscreveram, em outubro de 2012, para participar da primeira edição do Programa Inspira. As selecionadas enviaram seus dois principais dirigentes para participar do curso, com o compromisso de replicar internamente o conhecimento adquirido.

Teoria e prática

Desde a missão das instituições até o uso dos recursos são abordados

O Programa Inspira é composto por encontros formativos presenciais de dois dias cada, acompanhamento virtual por meio de um grupo fechado na rede social Facebook e dois investimentos financeiros. Com duração de 16 meses, beneficiará as entidades selecionadas com 80 horas de formação presencial em gestão e fortalecimento institucional e 20 horas de acompanhamento pela internet das atividades desenvolvidas nos intervalos dos módulos de curso.
No primeiro módulo, em março, foi tratada a questão da identidade, isto é, foram trabalhados temas como o perfil e a missão das organizações e orientações para definição das suas diretrizes organizacionais (papel, visão e valores). O segundo módulo foi dedicado ao diagnóstico institucional. Em julho, os participantes assistiram ao terceiro módulo do programa, dedicado ao contexto de atuação das entidades. Seguiu-se uma sessão presencial sobre desenvolvimento de projetos. O quinto módulo, realizado ao longo de novembro e dezembro, abordou as questões de comunicação, mobilização de recursos e articulação em rede. As entidades, então, receberão a verba para um segundo ciclo de investimento num projeto – já receberam até R$ 10 mil após o segundo módulo para a realização de um primeiro investimento institucional. O programa terminará em julho de 2014.

 

 

Comentários estão fechados.

Slider by webdesign