Mato Grosso: Mosaico de Riquezas

BRF investe na regional para ampliar em 35% o volume total de tudo o que é produzido num dos Estados mais promissores para a companhia este ano.

Mato Grosso: mosaico de riquezas

Desde a divisão do território que culminou com a criação de um novo Estado, há pouco mais de três décadas, Mato Grosso experimenta um desenvolvimento acelerado. E coube à agropecuária – com índices de produtividade que superam a média nacional e alcançam os mesmos níveis da norte-americana – dar o impulso necessário para a economia regional. Mato Grosso é hoje líder na produção de algodão no Brasil. Também está entre os maiores produtores de soja. Destaca-se ainda pela estratégica localização geográfica. É um importante entreposto comercial, porque une corredores que ligam o Atlântico ao Pacífico.

Time da regional da BRF reúne mais de 10 mil funcionários

Um cenário perfeito para o surgimento de novas cidades, originadas por migrantes da região Sul do Brasil, atraídos pelas promessas de prosperidade. Um sinal dessa movimentação está no norte mato-grossense, que em 20 anos viu seus 38 municípios saltarem para cerca de 130, segundo dados do Arquivo Público do Estado de Mato Grosso.

Trata-se de um potencial na mira da indústria, setor que mais se expandiu na década atual, conforme indicadores econômicos da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), e com perspectivas de manter o ritmo de crescimento nos próximos anos. “A BRF mantém seis regionais para produzir e atender os mais de 2,5 mil clientes no Brasil e no mundo. Entre as mais promissoras da companhia está a Regional Mato Grosso”, corrobora Sidiney Koerich, diretor agroindustrial da BRF.

A companhia investirá R$ 400 milhões para ampliar as operações no Estado

A companhia deverá aplicar cerca de R$ 400 milhões para expandir suas operações nos próximos anos. Também está nos planos a construção de mais de 1.000 casas nos conjuntos habitacionais da Regional de Mato Grosso, além de uma creche e um posto de saúde. Já estão construídas 271 casas e uma creche no Habitacional de Nova Mutum.

Em Lucas do Rio Verde são 1.488 casas com posto de saúde e creche construídas, e tem-se previsão de aumentar; para o município de Mirassol D’Oeste está prevista mais uma creche.

Espera-se que esse investimento resulte na expansão de 35% do volume total de tudo o que é produzido nas unidades da regional. Em 2011, a produção superou a casa de 400 mil toneladas.

Para sustentar esse crescimento, será necessário aumentar em mais de 50% o número de bovinos confinados, além de construir dezenas de aviários em Lucas do Rio Verde, Campo Verde, Nova Mutum e Nova Marilândia e transformar os aviários existentes para o sistema darkhouse.

Tem-se ainda a previsão de expansão do conjunto de granjas produtoras de suínos nos sistemas de terminação,

Em 2011, a produção das unidades do MT superou a casa de 400 mil toneladas

produtoras de leitões e multiplicadoras. Além dos investimentos da companhia, a Regional Mato Grosso também irá contar com financiamentos para as novas parcerias com os produtores da região. Os recursos virão do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste do Banco do Brasil.

A investida tem justificativa simples: o preço competitivo do grão, principal insumo da alimentação de aves, suínos e bovinos, além das características favoráveis de clima, topografia e perfil das propriedades e dos produtores do Estado.

 

Comentários estão fechados.

Slider by webdesign