sábado 25 Out 2014

Instituto BRF lança projeto ReciclAção

Iniciativa, com parcerias, promove coleta seletiva e educação ambiental no Rio de Janeiro

revista_brf_ed99_sustentabilidade_destaque

Comunidade dos Prazeres

Manhã de sábado na Comunidade dos Prazeres, em Santa Tereza, no Rio de Janeiro. Convidados a participar de uma gincana, crianças e jovens foram incentivados, semanas antes, a levantar materiais recicláveis para a Estação de Coleta, que seria inaugurada naquele dia, 23 de março de 2013. Reunidos na comunidade, moradores participaram da inauguração e do lançamento oficial do Projeto ReciclAção, uma iniciativa do Instituto BRF e parceiros. Juntos, formam o Grupo de Trabalho do ReciclAção.

Instituto BRF

Ao promover a reciclagem de embalagens longa-vida, PET e latas, o ReciclAção tem o propósito de ajudar a acabar com riscos socioambientais por meio de coleta seletiva, mobilização comunitária e educação ambiental. Em um ciclo autossustentável, o material reciclável entregue pela comunidade na Estação de Coleta, como é chamado o posto, é comprado pelas recicladoras parceiras do projeto. Toda a receita gerada é utilizada para manter a operação, reduzindo o lixo na comunidade e organizando mutirões para melhorar a qualidade de vida no bairro.

Posto de coleta

“Mais do que um projeto de coleta seletiva, o ReciclAção é um programa de apoio ao desenvolvimento local”, explica Luciana Lanzoni, diretora-executiva do Instituto BRF. “Os chamados agentes comunitários de reciclagem colocam em prática as atividades e cuidam da Estação de Coleta. Sua atividade é alinhada com as diretrizes do grupo de trabalho responsável pelo projeto, composto por empresas privadas e públicas e também por organizações da sociedade civil e comunitárias.”

Transformar um grave problema em parte da solução local é um dos trunfos dessa iniciativa.
“O ReciclAção promove um ciclo colaborativo. Diferentes pessoas e organizações se conectam gerando sustentabilidade ambiental e econômica e fortalecendo a comunidade a partir de seus próprios recursos e parcerias”, diz Kátia Edmundo, diretora-executiva da organização não governamental Centro de Promoção da Saúde (Cedaps), uma das parceiras do Instituto BRF no projeto.

Comentários estão fechados.

Slider by webdesign