segunda 26 Jun 2017

Estímulo por ser grande empregador

Medida do Plano Brasil Maior que desonera a folha de pagamentos irá beneficiar BRF em 2013

revistabrf_ed96_competivividade_estímuloporserumgrandempregadorjpg

A BRF já tem uma boa notícia garantida para começar o ano de 2013. A partir do dia 1º de janeiro, a Empresa, assim como todo o setor produtor de aves e suínos, poderá se beneficiar dos efeitos de uma mudança autorizada pelo governo na forma de contribuição à Previdência Social. Em vez de recolher 20% sobre sua folha de pagamento, a empresa passará a contribuir com valor de 1% sobre o faturamento. Para uma companhia de atividade intensiva em mão de obra como a BRF – uma das cinco maiores empregadoras no Brasil, com mais de 115 mil funcionários –, essa substituição na contribuição previdenciária resultará em uma desoneração significativa. “Ainda não sabemos exatamente qual será o ganho porque faltam alguns detalhes sobre como o cálculo será feito, mas nossas simulações indicam que a companhia terá uma boa economia”, diz Wilson Newton de Mello Neto, vice-presidente de Assuntos Corporativos da BRF.

A desoneração da folha de pagamento é uma das medidas que fazem parte do plano Brasil Maior do governo federal. Iniciado em 2011, o plano tem por objetivo tornar as empresas brasileiras, em especial aquelas que são exportadoras, mais competitivas no cenário internacional. Nos últimos anos, o custo crescente da mão de obra se tornou um dos motivos de muitas empresas no país sentirem mais dificuldade no confronto com suas concorrentes no exterior e no próprio mercado doméstico. Ao criarem condições para uma redução no custo do trabalho, as medidas do governo também impulsionam o crescimento da produção e incentivam a geração de empregos.

No caso da BRF, embora o tamanho do benefício não esteja mensurado, já é possível afirmar que a empresa ganhará ainda mais competitividade. “Nossa perspectiva é ter mais poder de fogo na disputa por mercados em outros países, o que deverá levar a BRF a ampliar os investimentos e a contratação de trabalhadores”, diz Mello.

Comentários estão fechados.

Slider by webdesign