sábado 24 Jun 2017

Dose Dupla

Sadia investe numa dupla destinada ao sucesso e ensina que a marca do queijo é tão importante quanto à do presunto

dosedupla_revistabrfonline_ed92_

O maior poder aquisitivo do brasileiro diversificou o carrinho de compras e provocou impacto positivo na demanda e consumo de derivados lácteos, em especial o queijo. Atenta a esse movimento a BRF apresenta ao mercado nacional, sob a marca Sadia, as opções de queijos prato e mussarela.

Pesquisa da Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Leite Brasil) revela que as vendas de queijo cresceram 16% em 2011 na comparação com o ano anterior. Nada mal para um mercado em que o consumo per capita do produto saltou mais de 30% no período de oito anos, segundo dados da Embrapa/Scot Consultoria. Passou de 2,6 quilos/ano em 2000 para 3,4 quilos/ano em 2008.

Agora o consumidor brasileiro já pode pedir o queijo pela marca

Agora o consumidor brasileiro já pode pedir o queijo pela marca

Embora não exista estatística recente, a estimativa, com base no crescimento médio desse período, é que o consumo brasileiro per capita esteja em torno de 4 quilos de queijo por ano. Um volume irrisório se comparado com o dos grandes consumidores mundiais, como os países europeus. Para se ter ideia, na Grécia e na França a demanda é superior a 25 quilos/habitante/ano, quase sete vezes mais que no Brasil. Esse cenário não leva em conta apenas a renda da  população, mas questões culturais. Por isso, a Sadia – referência em frios – não esconde a que veio. “Ao comprar presunto e peito de peru, por exemplo, o consumidor tem o hábito de pedir pela marca. No entanto, observamos que o mesmo não acontece com os queijos mussarela e prato. Vamos trabalhar para mudar este costume”, diz Fábio Medeiros, vice-presidente da unidade de lácteos da BRF. “Esse é um produto frequente na mesa dos brasileiros.

Os queijos Sadia são os primeiros no Brasil a usar embalagem Easy Open, que evita uso de facas na abertura da peça.

Fábio Medeiros, vice-presidente da unidade de lácteos da BRF

Todas as classes sociais o consomem cerca de três vezes por semana.” Trata-se de uma excelente oportunidade de negócios e as investidas de marketing estão a toda. “E um segmento que apresenta crescimento constante. Anualmente são vendidas aproximadamente 700 mil toneladas de queijos no país, com a participação predominante de mussarela e prato”, destaca Medeiros.

 TUDO PODE

A versatilidade do queijo faz com que ele integre desde o café da manhã, o almoço e o jantar até o aperitivo, o lanche e a ceia, sem conflito de identidade. Por isso, o produto costuma ser um aliado no dia a dia e está sempre presente na geladeira. Confira!

Comentários estão fechados.

Slider by webdesign